Divisões do Krav Maga: Militar, Civil, Segurança Privada, Aplicação da lei, Mulheres, Crianças

Divisões do Krav Maga – Militar, Civil, Segurança Privada, Aplicação da Lei, Mulheres e Crianças

Conforme a natureza da utilização desta arte marcial, O Krav Maga pode ser classificado de algumas maneiras.

Mulheres e crianças – atenção especial a esses públicos

É importante deixar claro que não é uma “divisão” ou uma classificação de fato. Apenas, conforme o praticante ou a aplicação que será dada à arte marcial, um ponto ou conjunto de pontos são enfatizados, visando uma maior eficácia do Krav Maga. Assim, a didática e a intensidade apresentada em um treino de Krav Maga para crianças será voltada para o entendimento possível para a faixa de idade, apesar da prática e dos movimentos de defesa serem exatamente os mesmos, sendo necessário formação específica para isso.

Da mesma maneira, o instrutor que esteja habilitado para ministrar aulas, poderá treinar, normalmente, mulheres. Porém, o Krav Maga provém cursos para que os instrutores possam especializar-se em aulas para as mulheres, que são um dos públicos mais beneficiados com a prática do Krav Maga. Os índices de violência contra a mulher são alarmantes. E, ao contrário do que é mostrado, essa violência é um fenômeno mundial.

Devido à natureza do Krav Maga, de ser voltado à defesa pessoal, com espírito de briga de rua, em que não há regras, visando a preservação do bem maior que é a vida, as mulheres têm um grande aliado no Krav Maga.

O treinamento de crianças também recebe atenção especial dentro do Krav Maga. Levando em consideração toda a atenção que um treino com crianças deve ter, dosando a intensidade e utilizando uma didática específica, respeitando as particularidades que essa fase especial da vida tem, o instrutor de Krav Maga que pretenda trabalhar com crianças deve ter formação específica na área.

O uso civil do Krav Maga

O uso civil do Krav Maga se deu a partir de 1964, quando foi liberada a sua prática a todos os civis dentro do Estado de Israel. Dessa maneira, a prática civil engloba as mulheres, crianças e homens praticantes do Krav Maga, fora do circuito militar. Dentro dessa prática civil, além da defesa pessoal de mãos limpas, em um combate de contato ou briga de rua, o praticante recebe ensinamentos de defesa contra armas brancas.

O praticante também tem aprendizado de defesa contra armas de fogo, dentro do nível de Graduado, fazendo parte de treinamento militar. Porém, há cursos de especialização militar, sendo que para atingir os níveis mais elevados de graduação é necessário que o praticante tenha algum curso de nível militar.

Treinamento específico para a Segurança Privada e para a Aplicação da Lei

A prática do Krav Maga voltada para a Aplicação da Lei só pode ser feita por membros da força policial. Inclui as defesas de armas de fogo, desde o início do treinamento, além de ser restrito a esses indivíduos, com turmas específicas e exclusivas. Seguindo a mesma linha, integrantes de equipes de segurança privada têm reforço em algumas técnicas específicas, voltadas para a segurança de terceiros. Esse treinamento leva em consideração as características do ambiente, ferramentas de trabalho e do nível de stress a que esses profissionais estão submetidos.

O controle das emoções e da razão, portanto, ganha importância nesse segmento específico do treinamento do Krav Maga. Isso porque os profissionais desses segmentos não dispõem do tempo que um praticante comum para a sua preparação. Isso explica a ênfase dada a algumas técnicas que são necessárias para o desempenho dessas funções.